Para descomplicar o vinho

Garage Vinhos é uma importadora com preços atrativo aos consumidores

Filosofias como a da importadora Garage e do Bar do Gomes mostram que é possível degustar a bebida mesmo em tempos de crise econômica

Com praticamente seis meses de existência, o Bar do Gomes, de Porto Alegre, arrematou dois prêmios. O estabelecimento foi escolhido como "Bar Revelação" da VEJA Comer & Beber, além de estar entre os 20 melhores locais que são excelência na arte de tirar chopp segundo a prestigiada grife belga Stella Artois. Um dos conceitos que balizam tamanho reconhecimento é a escolha por descomplicar a experiência dos clientes com a gastronomia e, por consequência, com o mundo do vinho.

É GRÁTIS... Fique Atualizado!
Insira o seu e-mail e nome abaixo para receber dicas gratuitas sobre vinhos!

Tanto é verdade que a carta que faz parte do cardápio básico contém 18 rótulos que custam até R$ 60 – valor considerado excelente para a média nacional. Em restaurantes cariocas, por exemplo, um vinho chega a ser vendido por mais de R$ 180 quando deixa a vinícola por cerca de R$ 45. "Nossa proposta é tirar todo aquele formalismo do vinho fazendo com que a bebida entre como um coadjuvante na combinação dos pratos", revela Rafael Lorenzato, gerente administrativo do local. A estratégia do Bar do Gomes somente se fez possível, em grande parte, pela parceria com a importadora Garage Vinhos.

O Bar do Gomes oferece vinhos preços bem acessíveis

Fundada pela importadora Bodegas Selecionadores de Vinhos, que atua há mais de uma década no mercado de importação e distribuição, a Garage oferece rótulos selecionados e que não são vendidos em locais de consumo massivo. No total, a empresa comercializa 142 rótulos de nove vinícolas da Argentina, Chile, Portugal e Espanha. A partir de julho, o portfólio contará pelo menos duas dezenas de novidades vindas da Toscana, na Itália. Os preços variam entre R$ 22 até R$ 400. O diferencial da Garage, que vende tanto para empresas como apreciadores de vinho em geral, é o chamado desconto progressivo. Funciona assim: um vinho como o Casas Del Toqui Single State Cabernet Sauvignon custa R$ 28 a garrafa, mas ao adquirir três, o valor unitário cai para R$ 26. Comprando seis, o rótulo valerá R$ 24 e uma dúzia R$ 22 cada unidade. Ao final, duas caixas que pelo preço cheio custariam R$ 336 acabam tendo um desconto que ultrapassa a casa de 20%. Na carta do Gomes esse mesmo vinho é vendido por R$ 36, ou seja, nenhum absurdo frente ao preço praticado em estabelecimentos do sudeste. "Alguém que nos visite na loja, pode muito bem consumir o mesmo vinho no restaurante por um preço muito honesto. Em alguns casos, o mesmo valor que cobramos no varejo é praticado pelo restaurante", revela Abel Blumenkrantz, gerente de estratégia da Garage. A importadora também preferiu não repassar aos clientes neste ano o aumento do dólar que até maio acumulava alta de 18%. A política do preço justo também pega carona para que a Garage consiga concorrer de igual para igual com as cervejas artesanais que costumam custar tanto ou mais que uma boa garrafa de vinho.

A Garage comercializa 142 rótulos de nove vinícolas da Argentina, Chile, Portugal e Espanha

A matriz da empresa, na zona norte de Porto Alegre, promove aos sábados o Beberete, ação onde são apresentados gratuitamente até três rótulos. Nas quintas-feiras é servido um jantar com um chef em início de carreira ou mesmo conhecido pelo mercado. O serviço que conta com entrada, prato principal e sobremesa, todos harmonizados com rótulos diferentes, custa R$ 98. Mas não espere pompa e circunstância. "O espírito é degustar bons vinhos como se estivéssemos em casa trajando pantufas e pijama", propagandeia Blumenkrantz que nasceu em Buenos Aires, mas que há 15 anos escolheu a capital gaúcha para viver. Visitar a matriz da Garage (o primeiro empreendimento no varejo da importadora), aliás, equivale a conhecer praticamente um centro de distribuição já que a companhia administra todo o estoque que entra no país pelo Porto de Rio Grande. No entanto, o limite de comercialização da unidade se restringe ao sul já que no restante do Brasil a logística fica por conta da matriz sediada em São Paulo. "Curitiba se destaca como nosso principal mercado, seguido por Florianópolis e Porto Alegre", conta Armando Oliveira, sommelier da Garage.

Os premiados

A Garage conta entre seus vinhos selecionados vários premiados pelo mundo afora. O espanhol Pionero Macerato (R$ 80 a unidade e R$ 71 na compra de 6 garrafas), produzido pela Viña Almirante, recebeu 89 pontos de Robert Parker. Feito com a casta Albariño, apresenta frutas maduras (damasco, banana e maçã), evoluindo para tons florais e tons vegetais bem sutis. Na boca é saboroso e frutado e pode acompanhar muito bem petiscos como o Rolinho primavera de vegetais e molho de ostra (R$ 24, no Bar do Gomes). Entre os rótulos leves, o Tremendus Clarete (R$ 47 a garrafa e R$ 37 a dúzia), da espanhola Honorio Rubio, é repleto de particularidades. Escolhido entre os 50 melhores brancos e rosés à venda no Reino Unido pelo jornal The Times, em 2011, esse “Vino de una noche” (vinho de uma noite) passa por um processo de maceração de uvas brancas (Viura) e tintas (Garnacha) durante a tarde e noite posterior à sua colheita. No nariz é tem boa intensidade, revela notas de frutas brancas com suaves aromas florais e possível final de excelente acidez. Untuoso e de grande persistência, pede Bolinhos de bacalhau e mandioquinha (R$ 36, no Gomes) e, na opinião do sommelier Armando Oliveira, ainda uma paella.

A Garage oferece rótulos  selecionados e que não são vendidos em locais de grande consumo

O Casas del Toqui Pinot Noir Reserva (R$ 56 por rótulo e R$ 44 ao adquirir 12 unidades) obteve 88 pontos no Guia Descorchados deste ano. Com produção limitada a 24 mil garrafas, esse representante chileno tem nariz elegante, com aromas a mirtilo vermelho e um leve toque de baunilha. No paladar é suave, tem bom equilíbrio e longo final, combinação que casa muito bem com os montadinhos de tartare de salmão e manga ou presunto serrano com queijo gruyère (R$ 36 e R$ 32, respectivamente, também do cardápio do Gomes). O argentino Las Perdices Malbec (R$ 58 por unidade e R$ 48 pela dúzia) foi um dos destaques do Guia Descorchados 2012. O vinho demonstra complexos aromas de frutas vermelhas com um delicado toque de madeira. Suave na boca, equilibrado, com toques de ameixas e cerejas. É ideal para acompanhar massas ou peixes, e carnes vermelhas ou brancas com molhos de especiarias. 

O diferencial da Garage, que vende tanto para empresas como apreciadores de vinho em geral, é o chamado desconto progressivo

O também argentino Finca La Daniela Cabernet Sauvignon Reseva 2006 (R$ 75 a unidade e R$ 59,90 na compra de seis garrafas), da Bodega Barberis, levou o prêmio "Os melhores 78 do Chile e Argentina", evento promovido em 2008. De cor vermelha com tons violetas, no nariz deixa marcas de cerejas maduras, pimentão verde e amoras. Na boca é estruturado, com intenso corpo, taninos redondos, acidez equilibrada e marcantes notas das frutas de seu aroma. Um filé suíno ao barbecue e pimenta rosa, servido com farofa de panko (R$ 36, no Gomes) harmoniza muito bem com esse Cabernet. O Pródigo (R$ 95, mas seis garrafas custam R$ 82 a unidade), foi eleito em maio do ano passado pela Revista Gosto como o melhor Alentejano degustado às cegas. Fabricado pela portuguesa Encostas de Estremoz, com Touriga Nacional (50%) e Trincadeira (50%), esse vinho tem boa estrutura em boca onde se destacam os frutos secos como avelã e noz. É possível encontrar notas de baunilha e um ligeiro defumado, em virtude da madeira onde estagiou por um ano. O entrecôte grelhado ao molho de mostarda cítrica e salsa, servido com pão levemente tostado (R$ 42, no Gomes) é uma ótima combinação.

 

Publicidade

 

É GRÁTIS... Fique Atualizado!
Insira o seu e-mail e nome abaixo para receber dicas gratuitas sobre vinhos!

Buscar